Sábado, 17 de Janeiro de 2009

  

A Cruz é um dos símbolos místicos mais antigos. Representa a união de dois opostos ou duas condições relativas na natureza e no universo, unindo-se num ponto onde ocorre uma manifestação que é a combinação dos seus respectivos poderes. Existem cerca de 388 variações de uma cruz.
 
Os egípcios utilizavam uma cruz em forma de T e outra semelhante com uma alça em cima (ankh) que conhecemos como cruz ansata.
 
Para os egípcios ankh simbolizava VIDA, não apenas a animação do corpo mas no sentido de continuidade. Antes da XVIII dinastia, só a realeza e sacerdotes eram considerados dignos da imortalidade, por isso a cruz ansata aparece junto das suas imagens nos túmulos e momumentos da época. Servia também como amuleto para despertar os mortos para uma nova vida.
 
Os Cristãos escolheram a cruz como símbolo pela sua simbologia mística e sagrada na história religiosa e filosófica de muitos povos anteriores à era cristã.
 
Já na era cristã, Santo André sofreu um martírio numa cruz em forma de X, cruz que herdou o nome do Santo. No final do século III, os cristãos utilizaram as duas primeiras letras da palavra grega Christus que se parecem muito com a cruz de Santo André com um P maiusculo entrelaçado. Era chamado labarum.
 
 
Se juntarmos a cruz ansata com a cruz de Santo André, temos o símbolo da Imortalidade com o símbolo de Cristo numa só cruz.

sinto-me Reverente
música Egípcia
As minhas Tags:

publicado por Nhunguè às 00:18 | link do post | comentar | favorito


Template dos Blogs do Sapo remexido pela Treza, e é capaz de ficar mais fixe em Firefox.


posts recentes

SABER VIVER

O amor é instintivo, natu...

Conhece-te a ti mesmo

Mestre Hilarion

A QUEDA DA ATLÂNTIDA

ATLÂNTIDA

Natal Crístico

Jesus O Cristo

PERDOAR

Mágoas

GAZA

A Cruz

As minhas Tags

amor

atlântida

indagação

luz fogo vida

mistério

ousadia

piramide

porquê?

sereno

todas as tags

arquivos
links
subscrever feeds
blogs SAPO